Páginas

domingo, 29 de novembro de 2015

Advento do Senhor

No próximo final de semana, unidos à nossa Igreja espalhada por todo o orbe cristão, iniciaremos o Tempo do Advento (“adventus”, que em latim significa chegada, vinda).
De acordo com os documentos que normatizam a liturgia na igreja, esse é um período que possui duas características essenciais:
- Em primeiro lugar é um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre nós. Prova disto é que a liturgia dos últimos dias do Advento (17 a 24 de dezembro) reveste-se de um caráter todo especial de preparação para o nascimento de Jesus.
- Em segundo lugar é também um tempo em que voltamos os nossos corações para a expectativa da segunda vinda do Cristo no fim dos tempos, e justamente por isso, a liturgia da palavra que ouvimos nas ultimas semanas do tempo comum (Lc 17, 22-19, 27) e a belíssima solenidade de Cristo Rei do Universo, nos apontavam a segunda vinda do Filho do Homem, muito mais do que evidenciar um Jesus apoteótico ou faraônico reinante em seu palácio real, como muitos imaginam equivocadamente.

Portanto, iniciar o tempo da espera é a ocasião que temos para questionarmos se em nossas paróquias, comunidades, grupos ou famílias estamos na expectativa da segunda vinda do Filho do Homem, e mais, se também naqueles ambientes de evangelização, como o nosso espaço de trabalho, as redes sociais ou as nossas rodas de conversas entre amigos, somos capazes de convidar as pessoas a celebrarem o Natal do Senhor com verdadeiro espírito cristão.
Você que agora lê essas breves linhas, já se perguntou o que tem feito para incentivar as pessoas a viverem intensamente este tempo de espera do Senhor?
Quanto ao dia do Filho do Homem, “ninguém sabe o dia ou a hora, só o Pai” (Mt 24, 36), estejamos pois, preparados, vigilantes, em autentica espera cristã.

Pascom - Diocese de Guarabira

GUARABIRA: Comunicadores debatem sobre a ética nas comunicações; veja as imagens

Uma centena de comunicadores da região metropolitana de Guarabira movimentou o 2º Muticom (Mutirão de Comunicação), promovido pela Diocese de Guarabira e organizado pela Pascom (Pastoral da Comunicação), neste sábado (28) no Centro de Educação e Esportes de Guarabira (CIEC).

“Ética nas comunicações” foi o tema trabalhado por uma mesa de debatedores composta pela jornalista Márcia Marques de Campina Grande (coordenadora regional da Pascom), professor Assis Souza (doutor em educação, professor da UFCG de Campina Grande) e o advogado Gilvan Freire (ex-deputado estadual e federal). A mesa recebeu perguntas e tirou dúvidas.

O bispo diocesano Dom Lucena abriu o evento com a celebração da Santa Missa e fez um apelo por uma comunicação comprometida com a ética, a fim de favorecer a construção de uma sociedade mais justa e solidária.

Logo após o almoço, os participantes foram divididos em grupos de trabalho que aprofundaram os aspectos éticos nas redes sociais, no rádio e na liturgia.

Veja algumas imagens do Muticom:














PASCOM


 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

II Muticom - Diocese de Guarabira

A Pastoral da Comunicação Diocesana tem a alegria de convidar a todos os comunicadores e agentes da PASCOM da Diocese de Guarabira para participarem do II Muticom Diocesano, que será realizado, amanhã sábado, 28 de novembro de 2015, das 8h às 16h, no CIEC (prédio onde funcionava o Colégio Executivo , nas proximidades do Victor Center Hotel).
Desde já, agradecemos sua participação nesse projeto de Evangelização. Que a comunicação em nossa vida seja motivada por Jesus Cristo, que é o nosso modelo de comunicador perfeito.

Nosso maior objetivo é formar comunicadores comprometidos com a ética da comunicação no anúncio da Boa Nova.  

domingo, 22 de novembro de 2015

Cristo Rei

A Solenidade de Cristo Rei do Universo encerra o Ano Litúrgico, o ano da Igreja. Cristo é o centro da nossa existência. NEle podemos assegurar toda a nossa alegria e esperança, e superar toda nossa tristeza e angústia de que está tecida a nossa vida. Quando Jesus está no centro, até os momentos mais sombrios da nossa existência se iluminam: Ele nos dá esperança.
Jesus é rei, mas não como os reis deste mundo. Jamais podemos atribuir a Jesus a figura de um rei como tantos outros neste mundo. Existe um reino diferente que se realiza em Cristo neste mundo, sem ser deste mundo. Jesus sempre recusou ser coroado rei, em momentos de euforia popular, pois o seu “reino não é deste mundo” (Jo 18,36). Ele não poderia ser considerado um rei dentre outros, segundo os costumes dos povos. Diante de Pilatos, em meio a Paixão, Jesus sofredor admite: “Tu o dizes: eu sou rei” (Jo 18,37), o “rei” que veio ao mundo “para dar testemunho da verdade”. Na sua paixão e morte na cruz, Jesus se revela o verdadeiro rei, o Senhor, que vem para dar a vida pela salvação do seu povo. Ele é um rei muito diferente! Seu trono é a cruz; sua coroa é de espinhos; seu manto vermelho está embebido do próprio sangue vertido do corpo flagelado; seu cetro real é uma vara colocada em suas mãos por zombaria. Ao invés de cercar-se de honrarias, ele se faz servo, doando a sua vida.
             Jesus Cristo reina como “nosso Senhor e Rei do Universo”. O Filho de Deus feito homem é Senhor do céu e da terra. Nele todas as coisas foram criadas e para Ele tudo existe. Este reinado não se restringe a alguma parte da terra, nem a uma porção de pessoas. A Ele estão sujeitos todos os senhores da terra, os corações de todos os seres humanos. Por isso, pode-se dizer: Jesus Cristo é a testemunha fiel, o príncipe dos reis da terra. Todos hão de reconhecê-lo (cf. Ap 1,5-8). Trata-se, pois, de um reinado a que devem sujeitar-se e servir todas as instituições terrenas. Todas as realidades n’Ele e por Ele adquirem sentido. O Reino de Jesus é um reino eterno e universal. Reino da verdade, da vida, da santidade, da graça, da justiça, do amor e da paz. É este o Reino que pedimos ao Pai todas as vezes que rezamos o Pai Nosso. Contudo, não basta assim rezar; quem aceitar Jesus como Rei e Senhor, nele deve crer e confiar, deixando-se conduzir pela sua Palavra.
Na festa de Cristo Rei celebramos o Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas. Agradecemos profundamente aos fiéis leigos que tanto se dedicam à Igreja nas diversas pastorais, movimentos ou serviços, participando, de modo responsável, na construção da sociedade querida por Deus, rumo ao Reino definitivo. “A vocação do leigo e da leiga é sal que dá sabor, é fermento que faz crescer a massa e soma “com todos os cidadãos de boa vontade, na construção da cidadania para todos” (CNBB, 107 n. 58). E, nas Dioceses do Brasil, têm início, na solenidade de Cristo Rei, a Campanha para a Evangelização, tempo especial de oração e reflexão em vista da evangelização, com a coleta nacional prevista para o 3º domingo do Advento.
            Participemos da Festa de Cristo Rei nesta querida Diocese de Guarabira. A partir das 14h, acolhida na Cidade de Duas Estradas-PB. Em seguida, caminhada para Serra da Raiz-PB, com apresentação do nosso 3º Plano Diocesano de Pastoral: uma Igreja em saída, discípula, missionária, profética e misericordiosa; e celebração eucarística. “A Ele pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém”.


Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena – Bispo de Guarabira(PB)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Diocese de Guarabira retoma o Processo de Beatificação do Padre Ibiapina

Retomamos este ano o processo de beatificação do Padre Ibiapina, que foi iniciado em 1992, pelo então bispo de Guarabira Dom Marcelo Pinto Cavalheira. E encontrava-se parado, após a morte do postulador responsável pelo processo, Mons. Francisco de Assis Pereira.  Foi então nomeado postulador para a causa do Padre Ibiapina o Dr. Paolo Vilotta, famoso postulador das causas dos Beatos brasileiros: Irmã Dulce, Nhá Chica e Padre Víctor.
Dr. Paolo já está a par do processo e já começou a analisar a documentação que temos, e tudo o que já foi feito do processo. Após um encontro com ele em Três Pontas –MG para a entrega de uma documentação, conversamos sobre o andamento do processo que, segundo o postulador, está caminhando. Lembro que a abertura de um processo de beatificação não dá a certeza de que o servo de Deus será imediatamente beatificado e mais tarde canonizado; como o próprio nome diz é um processo, que muitas vezes é longo por sua seriedade e pelas normas que se deve observar ao longo desta investigação. Cabe a nós rezarmos e ajudarmos financeiramente com as despesas do processo pela beatificação deste nosso servo de Deus e pedir a ele também por nós.
Todos nós da Diocese de Guarabira, de um modo especial, devemos buscar divulgar esta devoção ao Padre Ibiapina, para que o povo, rezando a ele, possa receber as graças e milagres que serão de grande importância para o processo.
Diác. Alípio Moraes

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Papa: caminho da violência e do ódio não resolve problemas da humanidade

Cidade do Vaticano (RV) - “Desejo expressar minha profunda dor pelos ataques terroristas que na noite de sexta-feira ensanguentaram a França, causando numerosas vítimas.”
No Angelus deste domingo, ao meio-dia, o Papa Francisco expressou seu profundo pesar pelos atentados em Paris, externando seus sentimentos ao presidente da República Francesa e a todos os cidadãos, manifestando proximidade particular aos familiares daqueles que perderam a vida e aos feridos.
“Diante de tais atos, não se pode deixar de condenar a inqualificável afronta à dignidade da pessoa humana. Quero reafirmar com veemência que o caminho da violência e do ódio não resolve os problemas da humanidade e que utilizar o nome de Deus para justificar esse caminho é uma blasfêmia!”
Francisco convidou todos a se unirem a sua oração, confiando as vítimas indefesas dessa tragédia à misericórdia de Deus. “A Virgem Maria, Mãe de misericórdia, suscite nos corações de todos, pensamentos de sabedoria e propósitos de paz”, acrescentou.
Após pedir a proteção a Nossa Senhora para a querida nação francesa, a Europa e o mundo inteiro, rezou em silêncio com os presentes na Praça São Pedro, e depois uma Ave-Maria.
Ainda nas saudações, o Pontífice lembrou que este sábado, na cidade mineira de Três Pontas, Pe. Francisco de Paula Victor (sacerdote diocesano que viveu de 1827 a 1905) foi proclamado Beato. De origem africana, era filho de uma escrava.
“Pároco generoso e zeloso na catequese e na administração dos sacramentos, distinguiu-se, sobretudo por sua grande humildade. Possa seu extraordinário testemunho servir de modelo para muitos sacerdotes, chamados a ser humildes servidores do povo de Deus.”
Na alocução que precedeu a oração mariana, o Santo Padre ressaltou que o Evangelho deste penúltimo domingo do ano litúrgico propõe uma parte do discurso de Jesus sobre os eventos últimos da história humana, voltada para o cumprimento do reino de Deus. “Trata-se de um discurso que Jesus fez em Jerusalém antes de sua última Páscoa”, observou o Papa.
Francisco frisou que este discurso de Jesus contém alguns elementos apocalípticos, como guerras, penúrias, catástrofes cósmicas, todavia, estes elementos não são a coisa essencial da mensagem.
“O núcleo central em torno do qual gira o discurso de Jesus é Ele mesmo, o mistério da sua pessoa e da sua morte e ressurreição, e o seu retorno no fim dos tempos. A nossa meta final é o encontro com o Senhor ressuscitado”, lembrou Francisco prosseguindo com uma interpelação:
“Gostaria de perguntar-lhes: quantos de vocês pensam nisso? Haverá um dia em que eu encontrarei o Senhor face a face. Esta é a nossa meta: esse encontro. Não esperamos um tempo ou um lugar, mas caminhamos ao encontro de uma pessoa: Jesus.”
Portanto, explicou, “o problema não é ‘quando’ acontecerão esses sinais premonitórios dos últimos tempos, mas o fazer-se encontrar preparados para o encontro. E não se trata nem mesmo de saber ‘como’ se darão essas coisas, mas ‘como’ devemos comportar-nos, hoje, à espera desse encontro”.
Somos chamados a viver o presente, construindo o nosso futuro com serenidade e confiança em Deus. A perspectiva do fim não distrai a nossa atenção da vida presente, mas nos faz olhar para nossos dias numa ótica de esperança.
“É aquela virtude tão difícil de ser vivida: a esperança, a menor das virtudes, mas a mais forte. E a nossa esperança tem um rosto: o rosto do Senhor ressuscitado”, acrescentou o Papa.
Francisco observou ainda que o Senhor Jesus não é somente o ponto de chegada da peregrinação terrena, mas é uma presença constante na nossa vida: “sempre está ao nosso lado, sempre nos acompanha; por isso, quando fala do futuro, e nos projeta rumo a ele, é sempre para reconduzir-nos ao presente.
“Ele se coloca contra os falsos profetas, contra os videntes que preveem próximo o fim do mundo, e contra o fatalismo. Jesus está ao nosso lado, caminha conosco, nos quer bem”, reiterou.
Cristo quer subtrair seus discípulos de todos os tempos da curiosidade pelas datas, as previsões, os horóscopos, e concentra a nossa atenção no hoje da história, prosseguiu.
“Gostaria de perguntar-lhes – mas não devem responder, cada um responda a si mesmo –: quantos de vocês leem o horóscopo do dia? Calado! Cada um responda a si mesmo. E quando lhe der vontade de ler o horóscopo, olhe para Jesus, que está com você. É melhor, lhe fará bem.”
Essa presença de Jesus – concluiu o Pontífice – nos chama à espera e à vigilância, que excluem tanto a impaciência quanto a apatia, tanto o agir precipitadamente quanto o permanecer prisioneiros no tempo atual e na mundanidade.”
Por fim, Francisco pediu que não se esquecessem de rezar por ele e desejou um bom domingo a todos.
Fonte: Rádio Vaticano 

terça-feira, 17 de novembro de 2015

14ª Assembleia Diocesana de Pastoral

A Diocese de Guarabira, no Estado da Paraíba, realizou nos dias 13 e 14 deste mês de novembro, sua 14º Assembleia Diocesana de Pastoral. Realizada no Santuário Padre Ibiapina, Santa-Fé, perto de Arara, a assembleia teve como tema: “Uma Igreja em saída, discípula missionária, profética e misericordiosa”. 
O Bispo Dom Lucena, juntamente com os padres, diáconos, leigos (as), religiosos (as) e consagrados (as) fizeram uma avaliação da caminhada dos últimos quatro anos e planejaram o novo Plano Pastoral 2016-2019, seguindo as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2015-2019. Sob a assessoria do Diácono Sérgio Vasconcelos (Arquidiocese Olinda\Recife), foi realizado um aprofundamento sobre a importância do Plano Pastoral para a Diocese.

O dia teve início com a mística de abertura, em seguida houve apresentação do relatório das Regiões Pastorais sobre o Plano de Pastoral 2012 – 2015, destacando as prioridades eleitas para cada ano e fazendo uma avaliação do mesmo. A assembleia terminou por volta das 12h30 com a apresentação da agenda 2016 da Diocese de Guarabira.


Pascom/Diocesana 

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A Diocese de Guarabira, realiza a sua 14ª Assembleia Diocesana de Pastoral

Aconteceu nesta manhã de sexta-feira, 13 de novembro de 2015, em Santa Fé – Santuário de Padre Ibiapina – Solânea – PB, a abertura da 14ª  Assembleia Diocesana de Pastoral. Iniciamos o dia com a mística de abertura, em seguida tivemos a apresentação do relatório das Regiões Pastorais sobre o Plano de Pastoral 2012 – 2015, destacando as prioridades eleitas para cada ano.

Em um segundo momento, foi aberta uma roda de conversas entre os participantes da Assembleia, que socializaram os avanços e desafios enfrentados na caminhada do referido quadriênio. Sob a assessoria do Diácono Sérgio Vasconcelos (Arquidiocese Olinda\Recife), foi realizado um aprofundamento sobre a importância do Plano Pastoral para a Diocese.    




PASCOM DIOCESANA

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida


Setor de Juventude convida a todos os jovens, para participar da peregrinação da Imagem Jubilar de Nossa Senhora Aparecida

Tendo em vista a peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, que percorrerá todas as paróquias de nossa Diocese no período de 11 de outubro de 2015 a 12 de outubro de 2016, o Setor de Juventude convida a todos os jovens, a participarem das atividades que envolvem a peregrinação em suas paróquias.

video
(Setor de Juventude)


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Guarabira sedia 2º Congresso do Terço dos Homens

Neste domingo (01), dia de todos os santos, o Colégio Estadual de Guarabira sediou o 2º Congresso Diocesano do Terço dos Homens. Durante todo o dia, caravanas de diversas paróquias vivenciaram momentos de muita oração e confraternização. O evento também recebeu a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que estava há 10 dias em Pilõezinhos e depois foi levada para Araçagi. O Bispo Dom Lucena presidiu a Santa Missa de encerramento.




UMA MULTIDÃO DE FIÉIS RECEPCIONARAM A IMAGEM JUBILAR DE Nª Srª APARECIDA EM ARAÇAGI

Milhares de pessoas se fizeram presente na entrada da cidade de Araçagi para receber a Imagem Jubilar de Nossa Senhora Aparecida. Araçagi tremeu com a multidão de fiéis. A imagem chegou por volta das 18h. A animação ficou por conta do Ministério SPE. Após a procissão seguiu-se a Santa Missa que foi presidida pelo Padre João Batista. Além dos fiés que estavam a pé, jovens com motos, carros e bicicletas fizeram a festa ficar mais bonita, além do Clube dos Cavaleiros e Amazonas de Araçagi que também prestou homenagem a Santa Mãe de Deus.








domingo, 1 de novembro de 2015

Comemoração dos fiéis defuntos

Na comemoração de todos os fiéis defuntos, a Igreja celebra com fé o Mistério pascal, na firme esperança de que os batizados que morreram em Jesus Cristo passem com Ele da morte à vida. É uma oportunidade de reflexão e oração. É um tempo precioso para pensarmos em nossas vidas e rezarmos pelos nossos entes queridos.
Esta comemoração deve ser de oração, de homenagem cristã aos nossos entes queridos falecidos, e, também, de reflexão sobre o mistério da morte e da ressurreição que marcam nossas vidas. Assim falou Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim ainda que esteja morto viverá” (Jo 11, 24). Em outra passagem, Ele disse: “Todo aquele que crê em mim não morrerá para sempre” (Jo11,26). Nascemos para viver eternamente. A morte, para os que têm fé, não interrompe a vida. Deus nos criou para a vida e felicidade plenas. Os que partem deste mundo descansam para sempre na paz, na alegria, no convívio dos anjos e santos, na plena e eterna felicidade que só encontramos na comunhão com Deus.
Para o cristão, a morte é o começo de uma nova vida.
Devemos nos lembrar de que a vida eterna começa aqui e agora. Quem vive com Deus neste mundo, viverá com Ele eternamente. Quem vive com Cristo, viverá com Ele na outra vida. Quem vive no amor e na harmonia com seus irmãos, continuará na outra vida na plenitude do amor. 
No encontro final com Deus, o que conta são nossas boas obras e a retidão do agir. Nada vale o dinheiro, o sucesso, o prestígio, a beleza, a fama. Levaremos em nossa bagagem o bem realizado ao longo da vida, sobretudo a caridade para com os marginalizados. Lembremo-nos: “Vinde, benditos do meu Pai, recebei por herança o reino preparado para vós desde a fundação do mundo. Pois tive com fome e me deste de comer. Tive sede e me deste de beber. Estive nu e me vestistes” (Mt,25,34). Esta passagem bíblica nos revela que o critério para o julgamento final será o exercício do amor e da caridade para com o próximo, sobretudo os excluídos.
Ao rezarmos e recordarmos dos nossos entes queridos no dia de Finados, somos também chamados a dar um sentido às nossas vidas e aproveitar cada instante para fazer o bem. Anunciar a Boa Nova da salvação em Cristo, ajudar na cura dos corações feridos e proclamar a esperança na vida eterna é necessário para muitos nos dias atuais.
Que as almas de todos os fiéis defuntos, pela infinita bondade e misericórdia de Deus, descansem para sempre na paz e na eternidade da luz de Cristo!


Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena – Bispo de Gurabira(PB)